O novo cara no trabalho convida você para sua casa. Você se sente desconfortável. Claro, ele é um trabalhador duro, digita muito rápido, e seu foco intenso rapidamente o tornou um colega de trabalho indispensável. Mas seu rosto com cicatrizes parece mostrar algum passado violento. Seu discurso medido parece fabricado. Ainda assim, você não consegue se lembrar do último novo amigo que fez, você não tem nada para fazer hoje e aceita o convite.

Ele o cumprimenta na sala e o conduz a um salão sombrio, um quarto com painéis de madeira e tapete rosa. A poeira é grossa no ar rançoso. Ele anda em direção a uma mesa desordenada de animais feitas de dobradura em papéis desbotados. “Todos são dobrados em papel de tecido”, diz ele. Ele solta uma risada sem voz. “Eu chamo isso de ‘orgãogami’. E você é o meu próximo projeto”. Você grita e corre para a porta. Está trancada. Tudo fica escuro. No final da semana, você foi reduzido a um exército de guindastes de “papel de tecido”.

Ahm, desculpa, eu deixei a minha imaginação me guiar. Mas para os cientistas da Northwestern University estão realmente tentando criar “papel de tecido” de órgãos, apesar de serem tecidos de porcos e vacas, não de humanos. Um dia, eles esperam serem capaz de usar esses papéis como bandaids super avançados, além de outras aplicações biomédicas.

O processo começa com os órgãos do açougueiro que os pesquisadores cortam em cubos. Depois de limpá-los e misturá-los, eles ficam com apenas uma matriz das proteínas das células destruídas. Eles usam o pó resultante para fazer esses papéis, conforme relatado hoje no jornal Advanced Functional Materials. A equipe conseguiu criar esses papéis de corações, rins, ovários e outros tecidos de órgãos.

Os tecidos poderiam potencialmente ter uma variedade bem versátil de aplicações, de fechar feridas e aumentar hormônios em pacientes com câncer. Mas eles têm algumas limitações – o processo atual não permite que os pesquisadores façam as folhas com mais de alguns milímetros de espessura, e as propriedades específicas podem diferir entre os lotes de tecido usados para fazer os papéis. Por enquanto, a pesquisa está em seus estágios iniciais.

Então, eu suponho que esses “papéis de tecido” não são tão assustadores quanto eu dei a entender anteriormente… desde que não sejam feitos de tecido humano.

Imagem: Flickr

[Advanced Functional Materials]