O Facebook vem testando novos métodos para traduções dentro da rede social e trabalhando, principalmente, com inteligências artificiais para deixar de lado aqueles trechos de texto todo desconexo. No final da última semana, a companhia anunciou que todas as traduções automáticas no site agora são realizadas por meio de uma IA – são 4.5 bilhões de operações todos os dias dentro da rede. Os resultados devem ser mais precisos. Eles adotaram um método diferente, que tenta compreender o contexto.

• As traduções feitas com a nova inteligência artificial do Facebook farão mais sentido
• FaceApp: como funcionam os algoritmos do aplicativo que todo mundo está usando

A rede social explica em um comunicado que o sistema anterior interpretava palavra por palavra e, no máximo, analisava frases curtas. A partir de agora, a inteligência artificial utiliza machine learning (aprendizado de máquina) do tipo LSTM (Long Short Term Memory) e oferece uma estrutura de memória de longo prazo. Isso significa que, conforme mais traduções são feitas, a IA aprende a entender a estrutura da frase como um todo e as traduz por inteiro.

Quando uma palavra não tem tradução direta de um idioma para o outro, a inteligência artificial deixa uma lacuna temporária para procurar um termo que se aproxime ao máximo. Isso é útil para gírias, abreviações, entre outros termos. No comunicado, o Facebook explica que esse método permite identificar que “tmrw” na verdade é “tomorrow” (amanhã).

Na imagem abaixo, a diferença entre o sistema utilizado anteriormente e o novo método, em uma tradução do turco para o inglês. No primeiro quadro, o resultado seria uma frase desconexa como “Deles, o porquê de Izmir dizer não nós não esperamos que eles não entendam”. No segundo, a frase faz muito mais sentido: “Não esperamos que eles entendam porque Izmir disse não”.

traducao-facebook

O Facebook diz que com o novo sistema houve melhoria de 11% dentro da escala Bleu, que mede a precisão das traduções automáticas. Outra razão para o aumento da qualidade é que o inglês não é mais o idioma intermediário. Antes, um texto em qualquer idioma precisava passar pelo inglês e só depois aparecia na língua de destino. Agora, a tradução é direta.

A empresa ainda trabalha em outros métodos com IA para continuar melhorando as traduções. Em maio, eles publicaram um estudo com uma técnica emprestada do reconhecimento de imagens, que olha simultaneamente para diferentes aspectos dos dados. Dessa forma, é possível resolver o problema a partir de uma estrutura lógica por cima do texto, antes de organizar os pedacinhos do texto em uma lógica hierárquica.

[Facebook]